por Ed Jr.

Suspíria: A Dança do Medo (Suspiria), remake do clássico giallo cult do italiano Dario Argento, é uma produção de terror/fantasia dirigida por Luca Guadagnino (do premiado “Me Chame Pelo Seu Nome”) que chega agora às telonas brasileiras.

Final da década de 70, Susie Bannion (Dakota Johnson, trilogia “Cinquenta Tons de Cinza”), uma jovem bailarina americana, vai para a prestigiada Markos Tanz Company, em Berlim. Ela chega assim que Patricia (Chloë Grace Moretz, remake “Carrie, a Estranha”) desaparece misteriosamente. Tendo um progresso extraordinário com a orientação de Madame Blanc (Tilda Swinton, “Doutor Estranho”), Susie acaba fazendo amizade com outra dançarina, Sara (Mia Goth, “Evereste”), que compartilha com ela todas suas suspeitas obscuras e ameaçadoras de que algo malevolente está à espreita no local.

O elenco conta com Malgosia Bela, Angela Winkler, Elena Fokina, Ingrid Caven, Sylvie Testud, Fabrizia Sacchi, Alek Wek, Jessica Batut, entre outras.

Talvez a melhor forma de começar a falar sobre Suspíria: A Dança do Medo seja avisando que o filme, dividido em 6 atos e 1 epílogo, tem mais ou menos 150 minutos! Isso mesmo, são 2 horas e meia!!! Dito isso, falemos sobre a produção em si…

A aclamada obra de Argento virou um símbolo do cinema de terror e é considerada um dos clássicos do gênero. Assim, a ideia de refazer um filme desse porte parece completamente estúpida. Sabendo disso, Guadagnino fez bem ao trazer algo mais próximo a uma releitura do original, com alguns novos elementos interessantes (cores opacas e mais frias, movimentos de câmera, mescla de eventos do filme com  acontecimentos reais da época).

Ainda que tais detalhes sejam um acerto, a inconsistência do roteiro – ora resolvendo rapidamente pontos importantes da trama, ora empacando em momentos desnecessários – incomoda bastante e acaba empurrando um excesso de informações que resulta em vários minutos de pura monotonia ao espectador. Infelizmente, essa monotonia quebra totalmente o clima de agonia e tensão (presente a todo momento no original de Argento) que poderíamos esperar na escola de dança.

Além das citadas inovações trazidas por Guadagnino, o outro ponto positivo do filme é a atuação da premiada atriz Tilda Swinton. Interpretando 3 personagens diferentes, sua presença é sempre firme, seus movimentos envolventes e em momento algum a atriz precisa de caras e bocas para demonstrar a superioridade de sua personagem principal. Destaque total!  

Em suma: uma produção visualmente interessante com alguns bons momentos (e um excelente!). Porém, não deixa de ser um filme longo, cansativo e que vai te fazer soltar um “mas que p**** foi essa que eu acabei de ver?!” se você ainda estiver prestando alguma atenção ao final.
Ame ou odeie! Suspíria: A Dança do Medo é basicamente isso…
Eu prefiro o de Argento… ¯\_(ツ)_/¯

Nota: 5/10

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.