por Ed Jr.

MIB: Homens de Preto – Internacional (Men in Black: International), dirigido por F. Gary Gray (“Velozes & Furiosos 8”, “Straight Outta Compton: A História do N.W.A.”) e lançado 7 anos após o último filme da franquia, é o reboot – na realidade, seria mais um spin-off mesmo – do sucesso lá de 1997 que deu início à MIB. 

Por décadas, a agência Homens de Preto – MIB (sigla em inglês para Men in Black) protegeu a Terra da escória do universo, mas agora precisa lidar com a maior das ameaças: um infiltrado, e justamente quando a agência torna-se internacional. É neste contexto que M (Tessa Thompson, “Thor: Ragnarok”), uma jovem obcecada pela organização após passar por uma experiência extraterrestre e não ter sua memória apagada, se torna agente em Nova York. Mandada para Londres, M logo se torna parceira do atrapalhado, porém eficiente, agente H (Chris Hemsworth, saga “Vingadores”). Juntos, M e H partirão numa jornada em busca do traidor para, assim, salvarem a Terra.

O elenco traz também: Kumail Nanjiani – voz do alien Pawny (“Doentes de Amor”), Liam Neeson (“Busca Implacável”), Rafe Spall (“Jurassic World: Reino Ameaçado”), Emma Thompson (“Johnny English 3.0”), Rebecca Ferguson (“Vida”), Les Twins (famosa dupla francesa de dançarinos hip-hop formada pelos gêmeos Larry e Laurent Bourgeois), entre outros.

Levando em conta a franquia MIB, não há pra onde fugir: estranhas criaturas alienígenas, parte delas do bem e outra parte tentando dominar a Terra; tecnologia e armas pra lá de futuristas; e, por fim, uma dupla que funcione bem em conjunto. Pra sorte da Sony, temos isso em MIB: Homens de Preto – Internacional.

Tessa Thompson e o espetáculo de homem Chris Hemsworth reeditam uma parceria que já se saiu bem no constrangedor Thor: Ragnarok e basicamente transformam a produção do diretor Gary Gray de um total fracasso para um filme leve e divertido. A química entre o casal é nítida e o timing cômico de ambos se sobressai com Tessa no papel de policial bom/certinho e Chriszinho lindo no papel de policial mau/liberal. Outro destaque é o pequeno corajoso alien Pawny (voz de Kumail), responsável por alguns ótimos momentos com sua acidez e tiradas sarcásticas.

Infelizmente, ainda que os protagonistas salvem a produção, alguns defeitos são claros. Os antagonistas não são devidamente apresentados e seus objetivos tampouco, assim, os vilões se tornam meros coadjuvantes descartáveis num roteiro confuso, superficial e com uma trama apressada e pouco criativa, deixando a reviravolta bastante previsível.

Mesmo que tenha faltado explorar mais todo o conhecido universo de MIB (o espaço, os aliens e suas origens), vale ressaltar que os efeitos especiais são satisfatórios, apesar do já esperado uso excessivo de CGI, e as locações são espetaculares! Como o próprio nome diz, a agência é internacional e vários países são visitados (EUA, França, Inglaterra, Marrocos, etc), resultando em belos cenários em todas as cenas.

MIB: Homens de Preto – Internacional tem o Thor sem camisa a criatividade nas criaturas extraterrestres, nas armas e na tecnologia, boas atuações e referências aos filmes anteriores. Está longe de ser o blockbuster que o marketing prometia, mas pode agradar quem for ao cinema procurando 2 horinhas de descontração… Então diminua a expectativa, abra a mente e se divirta sem culpa com uma comédia pra lá de boba!

Nota: 7/10
PS: Daria 6.5, mas o filme mereceu 0.5 a mais por conta de uma excelente e impagável participação Br!
PS2: NÃO há cena pós-crédito!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.